Eternas Saudades....

Eu já passei nessa vida por muitos momentos difíceis, já senti muita dor, mas confesso que nada foi tão difícil como o que presenciei nesta Segunda, 29 de março de 2010, estou tentando escrever o que senti, porque falar não consigo, é tentar em vão exprimir uma emoção ímpar. Uma emoção que jamais seria traduzida por palavras.


Tenho procurado respostas a todo tempo: Por que eu? Por que tive que me envolver nessa dor? Por que apenas não fiquei de longe lamentando a dor dessa Mãe, dessa família? Será que Deus quer me mostrar alguma coisa?Ensinar-me algo? Será que eu precisava ouvir as palavras dessa Mãe tão maravilhosa sobre seu relacionamento feliz e presente com seu filho para poder acordar e ver que eu ainda posso ter um assim com meu filho?Afinal foi comovente ouvi-la falar dele, de como eles eram felizes, da maneira carinhosa como ela o tratava (mesmo nas horas das peraltices, afinal assim como o meu Kauã, o Juba também era um garoto elétrico), nesse momento passou na minha frente a minha vida, o meu relacionamento com o meu filho, e só o que consegui fazer foi chorar....

Estive próximo dela nesse dia em quase todos os momentos, tentei carregar um pouquinho da sua dor, mas ela era dela e eu não tinha esse direito. Por isso, apenas pedia em silêncio que Cristo Nosso Senhor, carregasse ela e sua família naquele momento no colo e que por todos os dias de suas vidas te desse conforto e forças para superar tão grande dor.

As lembranças daquele dia continua, a dor não passa. Não consigo explicar: “mas ás vezes tenho a impressão que eu tinha uma missão naquela história, que eu tinha que estar ali presente naquele momento de dor, que não foi coincidência eu estar ali naquele momento...” Mas tenho orado muito ao Senhor e em oração peço: Que essa dor a qual estamos sentindo sirva para que mudemos nossas vidas, nossos pensamentos e desejos.Que tratemos as pessoas com mais compreensão e amor, que a nossa família seja prioridade no nosso dia a dia e que sempre falemos para eles o quanto os amamos.
E quanto a você Juba, sei que está feliz na presença de Deus, então te peço:
Olhe por sua família e amigos e os ensine a viver sem você, não os deixe dizer palavras duras quando a saudade apertar demais...

Ajude-os a aceitar a sua partida sem tantas lágrimas...

Ensine-os a viver essa saudade e dar todo esse estoque de amor para aqueles que estão próximos...

Ajude-os a se conformarem sem tantos porquês...

Ajude-os a viver intensamente o tempo que resta, como você viveu seus 18anos...

Ajude-os a perceber claramente que você se foi para nos ensinar a amar o nosso próximo e todos aqueles que nos magoaram e a quem magoamos...

Ajude-os a perdoar mais e esvaziar vossos corações de rancor, de mágoas, de nojo e de pré-julgamentos...

Ajude-os a não ficar tão tristes nessa despedida porque ela é necessária antes que haja uma segunda chance onde todos se reencontrarão...

Um comentário:

Eliene Dantas disse...

Muito lindo isso que escreveu, como sempre você é craque com palavras! Creio que todo mundo compartilha desse sentimento que descreveu aí.
Parabéns pelo texto.